MINHA VIDA

MINHA VIDA
NOSSO MONTINHO PERFEITO

NOS ACOMPANHE!!!

Quantos passaram por aqui

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

A GENTE ADORA UMA FESTA!!!

Click to play this Smilebox slideshow
Create your own slideshow - Powered by Smilebox
This free slideshow personalized with Smilebox

O TAL DO DESFRALDE

Ai meu Deus, estou realmente quase pirando com essa história do desfralde.
Quando encontro mães que me dizem que foi super tranqüilo e que tiraram a fralda em 1 semana, fico até com raiva.
Será que eu que estou fazendo alguma coisa errada?
Será que ela quer me sacanear falando que foi tão simples assim, quando na verdade ela também quase pirou? Rsrsrs
Será que eles estão de brincadeira querendo me deixar mais doida?
Bom, seja lá qual for o motivo, tenho que admitir que está um pouco cansativo, desgastante e pouco produtivo, pois não tenho notado tanta evolução.
Assim que eles fizeram 2 anos iniciei o processo, mas acabei interrompendo por causa de uma virose, depois por causa da mudança.
Após as adaptações, recomecei o processo.
Faz 3 semanas que eles estão indo sem fralda para a escola e passando o dia inteiro assim. Todo dia vem uma sacola grande de calças, calcinhas e cuecas molhadas por causa de escapes. Aqui em casa é a mesma coisa.
As professoras dizem que eles estão melhorando, que cada dia escapa menos, que algumas vezes pedem...
Tirando a Laura, que desde o começo entendeu bem isso e adora ganhar parabéns pelo xixi, o resto acha que é uma brincadeira.
O João Pedro descobriu a semana passada que é legal, mas quer fazer toda hora para ganhar parabéns. Depois de levar 50 vezes e ele fazer uma gota, é só eu desistir que ele faz uma cachoeira no chão.
Claro que o fato de ter 4 e não ter mais tanta paciência, influencia muito, pois não aguento levar 4 filhos de 3 em 3 minutos para a privadinha. O que me intriga, na realidade, é que eles já entenderam que devem fazer as necessidades na privadinha, pois sempre que fazem no chão ou em qualquer outro lugar, eles mesmos dizem que tinham que fazer na privadinha.
A Sophia, por exemplo, fica sentada 10 minutos no troninho, levanta e faz no chão.
Se eles não estivesse se sentindo incomodados com a fralda e esse processo não fosse melhorar bastante minhas despesas, juro que por mim eles ficariam até a adolescência assim. Pelo menos estariam de fralda, mas com mãe por perto, pois pelo andar da carruagem, daqui a pouco quem está de fralda sou eu! Rsrsrsrs

COISAS QUE NINGUÉM NOS CONTA

Assim que casamos, alguém já começa a perguntar quando vamos “encomendar” o bebê. É como se isso fosse uma obrigação, fizesse parte do pacote.
Finalmente a mulher decide que chegou a hora de ser mãe! Se anima toda com a gravidez, faz planos, vive intensamente a maternidade e lê todos os sites sobre gravidez. Quase todo assunto é sobre isso.
Sempre tem uma mãe mais experiente que vem nos contar sobre a maravilha da maternidade, dar dicas do que deu certo, fala sobre a amamentação e alguns cuidados básicos, mas a verdade, é que algumas verdades nunca são ditas! Rsrsrs
Por exemplo, só se falam de noites mal dormidas. Não posso me queixar tanto disso. Tive noites bem dormidas, apenas com intervalos que acordava de 3 em 3 horas para amamentar, mas não sofri com filhos acordados madrugadas intermináveis. Não sofri de cólica nem de dentes nascendo, também não posso falar sobre esse tema, mas sobre o crescimento e a descoberta do mundo, ah esse eu posso falar com prioridade.
Ninguém conta pra gente da fase do “O que é isso?”. Sabemos bem da fase do “Porquê”, que antigamente era em torno dos 7 anos, e agora começa por volta dos 4 ou 5 anos. Mas parece que todo mundo se esquece do “O que é isso!”.
Como aqui tudo é multiplicado por 4, as fases ficam muito mais intensas.
Nós, que já estamos carecas de saber o que é um fogão, não pensamos na descoberta da criança quando fica parada olhando e nos faz a tal pergunta. O problema aqui em casa, é que os 4 perguntam a mesma coisa, mesmo tendo escutado a resposta do primeiro. Ou seja, passo um bom tempo do dia explicando tudo o que vemos pela frente. Rsrsrs O engraçado é quando começam a me questionar coisas sem nenhum sentido, que são obvias, mas não sei como explicar.
Outra coisa importante que não nos contam, é a energia interminável deles, por mais que você faça TUDO para acabar com ela. Não se assuste, a sua vai acabar beeeeem antes. Muitas vezes me vejo jogada e os 4 a mil por hora, sem me deixar nem fechar o olho.
Com o dia a dia com filhos, fazemos algumas grandes descobertas, como a facilidade que temos com línguas! Conseguimos entender perfeitamente o que nossos filhos falam, a ponto de achar estranho quando alguém faz cara de interrogação ao conversar com eles. As frases parecem muito claras aos nossos ouvidos. Esse é um ponto que eu gostaria mesmo que algum especialista em qualquer coisa me explicasse.
Por mais enrolado que eles falem, entendo quase 100% todas as vontades, todas as frases, todas as histórias inventadas, músicas erradas... e acho tudo a coisa mais linda do mundo.
Acho que na verdade, ninguém consegue nos preparar e nos ajudar realmente antes do nascimento, pois nada do que for dito, chegará próximo à realidade do dia a dia com os filhos, principalmente no meu caso, que não conhecia ninguém com experiência quadrigemelar. Até mesmo o pediatra deles fica assustado cada vez que temos uma consulta.
Com isso concluo que, sim, nascemos com o instinto materno e somos capazes de sentir, entender, descobrir e fazer tudo pelos nossos filhos sem nenhum aviso prévio, site, livro ou orientação de ninguém.
Boa sorte para as mamães e futuras mamães!

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012

AS MERECIDAS FÉRIAS DOS PAPAIS!

Depois da mudança, dos 18 dias de férias, da adaptação das crianças na casa, cidade e escola nova, finalmente chegou a hora de descansar!!!
Ser mãe é uma dádiva, a melhor e mais indescritível felicidade do mundo. Poder participar de perto do crescimento dos filhos também, mas que isso cansa, cansa, ainda mais quando multiplicamos isso por 4!
Entendendo a necessidade de uns dias fora, o Je me fez uma surpresa e programou uma viagem pra gente para Buenos Aires. Que maravilha!!!
Estava mesmo chegando no meu limite, precisava desses dias fora, de dormir e acordar sem choro, grito, briga, xixi ou qualquer tipo de obrigação.
Tudo organizado, vovó veio com o tio Zé e a tia Sandra ajudar a babá a cuidar da criançada e eu corri, bem cedinho pra São Paulo.
Estava tão esgotada, que na minha inocente ideia, ainda brinquei que dessa vez nem sentiria saudades deles, pois eram poucos dias e eu estava contando os dias para a viagem. ERRADA! 100% ERRADA.
Passamos dias maravilhosos por lá, passeamos muito, dormimos, comemos, bebemos, demos muita risada, namoramos, nos curtimos e eu consegui voltar renovada para enfrentar a quadrilha! Estávamos mesmo precisando disso. Desde que engravidei, nunca mais havíamos feito uma viagem só nós dois, apenas para curtir, sem ter hora pra nada.
Essas crianças são mesmo umas pestinhas, dão trabalho, me deixam louca, mas não consigo ficar um dia longe deles sem morrer de saudade.
Voltei pra casa e encontrei meus filhotes lindos, felizes e muito bem cuidados. Nada melhor do que poder descansar em paz e saber que eles estão nas melhores mãos do mundo.
Agora posso enfrentar mais uns meses antes de programar uma nova fugidinha. rsrsr