MINHA VIDA

MINHA VIDA
NOSSO MONTINHO PERFEITO

NOS ACOMPANHE!!!

Quantos passaram por aqui

terça-feira, 3 de abril de 2012

O DRAMA DAS BABÁS

Fato comum entre as mães, principalmente as de múltiplos, a dificuldade de se encontrar uma babá, principalmente uma boa babá volta a fazer parte da minha realidade.
Desde que as crianças nasceram já tive 18 – sim, 18 – babás que passaram pela minha casa, incluindo folguistas, que normalmente fazia com uma dupla fixa, mas há muito tempo estou sem nenhuma.
Depois de muito bater a cabeça, finalmente consegui encontrar a Kátia, uma pessoa que se encaixou certinho no ritmo da casa, no jeito das crianças e no meu. Ama eles e eles a amam muito.
Está comigo há dois anos, mora na minha casa, dorme com eles todos os dias, brinca e cuida de tudo deles com muito carinho.
Desde que mudamos para o interior, optei por ficar com 1 babá só, já que as crianças ficam o dia inteiro na escola e tenho uma pessoa para cuidar da casa. Por não estar trabalhando fora e ter mais tempo livre pra cuidar deles, decidi que eu seria a segunda babá e a ajudaria nas funções enquanto eles estivessem em casa.
Tudo estava caminhando muito bem, até que ela decidiu ir embora.
Na verdade, ela já havia me comunicado, mesmo antes da mudança, que gostaria de sair no início desse ano, mas que ficaria comigo até eles se adaptarem e eu encontrar uma outra pessoa.
Eis o problema – encontrar uma outra pessoa!!! Incrível, achei que no interior seria muito mais fácil, mas estava redondamente enganada.
Ninguém quer trabalhar para dormir e quem quer, não serve.
Enfim, encontrei uma menina ótima, muito disposta e humilde, que precisava bastante do emprego. Estava muito feliz com a oportunidade e me agradeceu muito. As crianças adoraram ela logo de cara e eu fiquei super aliviada.
No primeiro dia de trabalho, estávamos indo em um aniversário e ela teve uma crise de epilepsia!!!! Não acreditei no que estava acontecendo. Não era possível. Depois de tantos meses procurando, quando achei uma que se encaixava, ela tinha que ter esse problema?
Fiquei preocupada, socorremos, dei todo o apoio pra ela, mas tive que dispensar. Como posso ficar com uma babá com crises? Se não fosse para cuidar de crianças, daria uma oportunidade a ela, mas não ficaria sossegada em saber que ela estaria em casa, sozinha com meus filhos e poderia ter alguma coisa a qualquer momento.
Bom, mais uma vez volta o desespero e a procura incessante de babá.
Por enquanto não encontrei ninguém, estou no interior sem marido, mãe, irmã... e minha babá vai embora quinta-feira que vem. Bom, tenho um pouco mais de 1 semana para resolver esse problema.
Tenho certeza que vai aparecer a pessoa certa, mas até lá fico angustiada e com o desanimo de saber que tenho que começar novamente do zero, ensinar tudo e ficar na dúvida se ela vai ficar ou não, como as outras 18.