MINHA VIDA

MINHA VIDA
NOSSO MONTINHO PERFEITO

NOS ACOMPANHE!!!

Quantos passaram por aqui

segunda-feira, 19 de agosto de 2013

As personalidades e as mudanças

Faz tempo que não posto nada sobre rotina, dicas, a vida deles com o crescimento e outros temas, por isso decidi escrever esse post agora sobre as personalidades e a ajuda da terapeuta.

Bom, essa história de que todos os filhos são criados juntos, da mesma maneira, é pura bobagem. Ninguém é igual a ninguém, logo, a criação também não será exatamente a mesma. Cada pessoa precisa de algo específico. No caso de quadrigêmeos com tantas diferenças, são muitos "algos específicos", que com o passar dos anos fui identificando.
Coração de mãe é gigante, não faz diferença no amor de cada filho, é capaz de amar 1000 filhos da mesma forma, mas é impossível, que consiga dar toda a atenção, carinho, amor e, principalmente, a exclusividade que filhos sozinhos (não únicos, mas que nascem um de cada vez) recebem.
Por esse e por outros motivos, tento, da melhor forma possível, suprir todas as necessidades e mostrar para eles o quanto os amo, mas que sou uma só, que preciso me dividir pelos 4, que é maravilhoso eles terem o amor, a companhia e o carinho dos irmãos, que ser quadrigêmeos é demais, que eles sempre terão os melhores amigos em casa e, o mais importante, que nunca estarão sozinhos. Incentivo muito o amor, a amizade e o carinho entre eles.
Em busca de um maior índice de acerto que de erros, nesse aprendizado diário que vivo com eles, optei pela ajuda de uma terapeuta, que me atende e atende as crianças.
Primeiro foi a Sophia em uma consulta sozinha, pois é a mais agitada e, inclusive, estava atrapalhando um pouco o andamento da sala com essa agitação, animação e ansiedade pelas próximas atividades. Em seguida, o João Pedro foi avaliado junto com a irmã e depois os 4 juntos.
Cada um tem uma personalidade muito diferente, mas essa personalidade e as diferenças no comportamento, a maioria das vezes são moldadas dentro do contexto quadigemelar. E se isso já é complicado para mim, que sou adulta, imagine uma criança que está se descobrindo.
A terapeuta me passou o relatório e os "problemas" individuais de cada um.
Como já disse em outros posts, o JP é um príncipe, não dá trabalho, é super carinhoso e cuidadoso com as irmãs, obedece... Segundo ela, isso se deve (também) ao fato dele ser o único menino, não precisar se destacar e nem competir com outro. Naturalmente ele já é diferente delas (obvio!) e mimado por elas!! Isso dá uma certa calma a ele, por isso, ela não viu necessidade de fazer um acompanhamento.
A Sophia, a primeira que me fez procurar ajuda pelo seu comportamento, tem uma agitação que é natural dela, claro, mas ela ainda não havia encontrado seu "papel" dentro do grupo. Ela tentava se destacar e criava uma certa ansiedade, agitação... Hoje já está bem mais centrada, calma com os irmãos, mais carinhosa do que já era, inclusive teve alta da terapia!!!! Fiquei muito feliz em ver o rápido resultado e as mudanças visíveis que ela teve, inclusive (e principalmente) na escola.
A Laura também precisou passar pela terapia, pois era outra que estava ainda tentando se encontrar no contexto, mas diferente da Sophia, para buscar uma exclusividade, ela acabou se infantilizando mais que os outros. Não sei se por causa da fala (ela tem língua "solta" e o céu da boca muito profundo, o que  dificulta a fala, mas isso vai para outro post) ela acabou ficando visivelmente mais infantil que os 3. Além da infantilidade, a Laura também tinha uma agressividade impulsiva. Bastava ser contrariada que ela explodia. Também, muito rapidamente, já notei grandes diferenças e evolução no comportamento dela. Hoje ela está bem mais calma, carinhosa e, inclusive, boa e prestativa com os irmãos, mas ainda continua na terapia.
A Beatriz, que nunca havia demonstrado nenhum problema, até mesmo na avaliação da terapeuta ela era (das meninas) a mais bem resolvida, talvez pelo fato de ser bem menor que eles e eles a diferenciarem sempre por isso, hoje é a que está mais precisando. A semana que vem ela vai começar no horário da Sophia.
De uns tempos pra cá, ela passou a ser muito grosseira e autoritária em sua forma de falar. Me peita o tempo inteiro, se acha a dona da verdade e da razão, não respeita nem obedece ninguém e não tem a menor personalidade. Essa falta de personalidade me preocupa um pouco para um futuro próximo, pois ela imita os irmãos o tempo todo, em TUDO. Fala exatamente a frase que eles falam, faz a mesma brincadeira, espera eles decidirem o que vão tomar e comer para dizer que quer a mesma coisa. Tenho certeza que rapidamente ela se reencontrará.

E a cada dia uma mudança, uma novidade e uma vida com alegrias e surpresas múltiplas! Estou crescendo e aprendendo com eles como se vive nesse universo quadrigemelar, enfrentando as dificuldades e comemorando os acertos, que sem a mínima modéstia e com muito orgulho, tenho plena certeza de dizer que são muito maiores que os erros!